13 de mar de 2016

Uma selva de chamas


Silencie o corpo e a mente... Direcione seus olhos para o seu interior...

Há muitas coisas importantes para serem percebidas dentro de você, tão profundamente quanto possível. Uma, é que a luz não vem de fora. Ninguém pode dar a luz pra você.
No exterior está a escuridão, e no interior – onde está a luz – você não está. O único meio de ter luz é entrar no seu ser mais interior. Daí isso ser chamado de iluminação.

Você tem de se tornar a vela que ninguém pode apagar. No seu espaço interior você encontra o fogo que é eterno, a própria chama da existência.

Todos nós somos chamas. É apenas uma questão de ver dentro de você mesmo. E todo este espaço está cheio de chamas. Apenas uma floresta de chamas. Ao contrário, no exterior está a escuridão.
Isto me leva a fazer uma observação: O Ocidente esteve sempre buscando pela luz do lado de fora, onde ela não está; o Oriente esteve buscando a luz do lado de dentro, onde ela está. Mas, desafortunadamente, até mesmo o Oriente caiu nas mãos do Ocidente... Todo o seu sistema educacional, toda a sua mente não é mais do Oriente.
Atualmente no mundo, existe somente a mente ocidental: olhando pra fora. Não importa onde você esteja... Não é uma questão de geografia, mas de espiritualidade. Você está olhando pra dentro? Então você está com a verdadeira fonte de luz. E, além dessa, nenhuma luz pode ajuda-lo a dispersar a escuridão que o está circundando.
Mas você está sempre olhando pra fora, por isso você não encontra a verdadeira fonte de luz.

Nesse momento, observe a sua respiração, momento a momento...
O sutra do diamante diz: “Não há nenhuma mente. Nem passada, nem presente, nem futura”. A mente é apenas um sonho numa consciência adormecida. Acorde e a mente desaparecerá.
Perceba... A mente passada não está mais aí. A futura ainda não está. E se o passado e futuro desaparecem, como você pode ter a ponte, o presente? Ambas as margens desapareceram; você acha que a ponte pode permanecer? Com o passado e futuro ausentes, isto se torna absolutamente claro: não há nenhuma mente do presente também.
Você é, mas você não é a mente.

No que diz respeito à existência, a sua intelectualidade, sua erudição, não tem nada a ver. Ela pode apenas torná-lo orgulhoso, e ser orgulhoso é perder o contato consigo mesmo. Ser orgulhoso significa estar identificado com um ego. E você é somente um silêncio... Por que poluir esse silêncio? Por que não deixa-lo espaçoso? Por que não expandir o silêncio em sintonia com a existência?
O intelectual está mais propenso a não compreender. Sua intelectualidade o impede de compreender por ela lhe dar um senso como se você soubesse... Mas... Como se não é o ponto. Você tem de experienciar, não como se, mas Isto!
Então, saia da mente e desfrute o momento presente.

Seja total nesse momento e um jorrar de luz acontece...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.