22 de mar de 2016

Nada é tão ousado quanto o Zen


O mestre diz:
Nada é tão ousado quanto o zen
A busca chamada zen não é por qualquer coisa além do seu próprio Si mesmo. Não é um estudo. É uma experiência muito simples.

Uma verdade jamais é emprestada. A verdade não pode ser lida numa escritura. Ela tem de ser vivida somente no templo mais interno do seu ser.
Milhares de livros estão disponíveis com todos os tipos de respostas, mas não há um único livro no mundo que possa lhe dar uma resposta que respire, que tenha um coração, que possa rir, que possa dançar. Essa resposta não vem de nenhuma outra fonte além da sua própria experiência.
O aprendizado não é necessário, o que é necessário é a inocência e um homem instruído nunca é inocente. Ele sabe demais e ele também é muito orgulhoso de todas as palavras emprestadas que ele acumulou e continua acumulando.
Liberte-se das palavras, liberte-se dos conselhos, liberte-se de toda a sabedoria dos séculos... E simplesmente retorne a si - mesmo.
O zen é único em sua abordagem. Ele quer que você queime todo conhecimento que você tem tomado emprestado, a fim de que você possa vir para sua simples consciência – sem ranhuras, sem nada escrito nela, apenas um puro silêncio, um céu sem quaisquer fronteiras.
Cada um no seu tempo irá buscar a Verdade, mas a erudição não é o meio de encontrá-la. Seu próprio conhecimento funciona como uma barreira para que você possa relaxar dentro si mesmo.
Você se agarra às palavras, às escrituras, aos sutras, aos budas do passado. É uma situação engraçada, porque o Buda está dentro e as pessoas estão guardando estátuas de pedra em seus templos. A experiência essencial é interior, e as pessoas estão recitando versos e sutras de outros.
Muitas pessoas se apegam ás escrituras, tomam notas enquanto ouvem um mestre, mas você não pode encontrar a resposta para a pergunta essencial em nenhuma escritura: Quem é você verdadeiramente¿ O que está dentro de você¿ Qual é o seu centro de ser¿ O que é a chama que o mantém vivo¿
Precisamos questionar sobre a própria fonte da vida. Claro que você não pode encontra-la em nenhum livro, a não ser que você seja um erudito estúpido. E há milhares de eruditos estúpidos ao redor do mundo. Eles estão falando sobre isto e aquilo; sobre verdade, sobre o amor, sobre ser. Você pergunta e eles têm respostas prontas.
Mas uma verdade jamais é emprestada. No momento em que ela é tomada emprestada ela se torna não verdadeira. Uma verdade não pode ser encontrada numa escritura; uma verdade tem de ser vivida somente no templo mais interno do seu ser.
Um mestre Zen nunca lhe dará uma resposta verbal, porque a resposta verbal se tornará conhecimento, e o conhecimento é uma barreira. O autêntico mestre criará a situação. É sempre talvez, talvez você possa ser capaz de ouvir os bambus, talvez não. A função do mestre é criar uma situação na qual você possa acordar.
Sua consciência. Essa é a busca! E você terá de encontrá-la por conta própria, no interior de si mesmo.

E esse é todo o segredo do Zen. Se você puder esquecer de si mesmo, mesmo que seja por uma fração de segundo, você chegou em casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.