25 de dez de 2013

Você é o problema


Por causa da nossa linguagem, tudo o que se diz sobre coisas tão profundas torna-se falso.
Dizemos... Gautama Buda tornou-se iluminado. Isto é falso. Gautama Buda jamais se tornou iluminado. Só quando não estava mais, quando se ausentou, a iluminação aconteceu. Quando, de repente, um dia compreendeu que ele era o problema e tudo o que fizesse criaria mais problemas... E não é uma questão de certo ou errado, disto ou daquilo. Tudo o que você fizer fortalecerá o ego.
Então, quando Buda compreendeu isto – e esta compreensão precisou de muitos anos de esforço -, quando compreendeu que tudo que fizesse estaria fortalecendo ainda mais o seu ego, simplesmente parou de fazer. Naquele momento de compreensão, tornou-se um não fazer.
Perceba... Você pode ficar em silêncio, em pé ou sentado. Mas se fizer qualquer esforço, será falso. Você não estará parado, estará se movendo. Se você se sentar em silêncio e se esforçar para isso, se estiver querendo ficar em silêncio, esse silêncio será falso. Você não estará em silêncio.
Assim, quando Buda compreendeu que ele era o problema e que qualquer atividade de sua parte daria mais substância ao ego, simplesmente parou. Não fez mais nenhum esforço para criar um estado de inatividade. Não fez absolutamente nada. Tudo o que acontecia, estava acontecendo por si.
O vento soprava e as árvores deviam estar dançando. Depois veio a lua cheia e toda a existência celebrando. A respiração entrava e saia, o coração pulsava, tudo estava acontecendo! Mas ele não fazia nada. E nesse não fazer Sidarta Gautama desapareceu.
Pela manhã, não havia ninguém ali para receber a iluminação, mas a iluminação estava presente. Sob a árvore Bodhi, estava sentado um veículo vazio. Respirando, é claro. Tudo funcionava perfeitamente sem que ninguém fizesse qualquer coisa.
Buda transformou-se numa nuvem branca. A iluminação aconteceu.
E ela pode acontecer a você também. Mas não faça disso uma esperança. Pelo contrário: percebendo o ponto, abandone todas as esperanças – perca todas as esperanças.
É difícil perder as esperanças. Quando você perde as esperanças se sente desesperado. E imediatamente, para encobrir o desespero, cria novas esperanças e o desespero acontece.
Perceba... As pessoas vão de um Mestre a outro, movem-se de uma esperança a outra. Procuram um Mestre com esperança de que, através de sua energia, algo aconteça. Tentam, esperam com a mente tensa – porque a mente esperançosa nunca está relaxada – com a mente impaciente – porque a mente esperançosa não pode ser paciente.
Começam então a ficar inquietas porque nada está acontecendo. O mestre deve estar errado, é preciso buscar outra pessoa. As pessoas mudam de uma religião para outra, convertem-se. Mas só por causa da esperança. E você pode continuar fazendo isso durante muitas vidas. E é o que tem feito.
Agora, tente perceber o ponto! Não é uma questão de Mestres. Trata-se de uma percepção direta, naquilo que está acontecendo, no por que da esperança, no porquê de não poder viver sem ela. E o que você ganhou com todas as suas esperanças?
Veja o fenômeno. E ele desaparecerá por si mesmo. Pode acontecer a qualquer momento. Isto significa que o fenômeno da iluminação, a ausência do ego, não é causado por nada. É uma simples percepção. Pode acontecer a um pecador e não acontecer a um santo.
Portanto, nenhuma condição é mesmo necessária. Se ele puder ver, acontecerá até mesmo a um pecador. Se ele perder as esperanças, se sentir que não há nada para se ganhar ou conquistar, se puder ver que tudo não passa de um jogo absurdo, poderá acontecer a ele.
E pode não acontecer a um santo, porque os santos estão sempre querendo conseguir. Ainda não perderam as esperanças. O mundo tornou-se fútil, mas o outro mundo passou a ter importância. Eles entendem que têm de deixar esta terra, mas existem paraísos além onde terão de chegar.
Mesmo as pessoas que estão próximas de um Jesus ou de um Buda continuam pedindo coisas, como essas. Exatamente na noite anterior à sua morte, quando Jesus estava para ser preso, seus discípulos perguntaram: Mestre, responda: no Reino de Deus, quando você estiver sentado ao lado direito do Pai em seu trono, qual será a nossa posição?
Pessoas que conviveram com Jesus e fazendo perguntas tão tolas! Mas a mente humana é assim.
Mesmo diante de Jesus as pessoas têm esperanças. A esperança têm raízes profundas em você. Tudo o que diz você converte em esperança. Você é um mecanismo criador de esperança, e esse mecanismo criador é o ego.
Então, o que fazer? Na verdade, não há nada a fazer. Você só precisa clarear os olhos, torna-los mais perceptivos e penetrantes. Só precisa olhar-se com novos olhos, olhar o seu ser, ver tudo que tem feito e esperado. É preciso um novo olhar.

E eu lhe digo: com esse novo olhar, com esse olhar inocente, o ego desaparecerá por si mesmo. Este é o fenômeno mais fácil e, ao mesmo tempo, o mais difícil. Mas lembre-se bem: eu não estou lhe dando nenhuma esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.