22 de jun de 2013

O Todo VI


Sutra:
Um homem embriagado, ao cair da carroça,
Fica machucado, mas não destruído.
Os seus ossos são como os ossos dos outros homens,
Mas sua queda é diferente.

O ego não está lá, o espírito está inteiro.

Ele não percebe que entrou numa carroça
Ou que caiu de uma.

Vida e morte não são nada para ele.
Ele não conhece sustos, ele encontra obstáculos
Sem pensar, sem preocupação,
Enfrenta-os sem saber que lá estão.

Se existe tal segurança no vinho,
Quanto mais no Tao.
O homem sábio está oculto no Tao,
Nada pode tocá-lo.

Observe um bêbado, porque o homem do Tao é em muitos aspectos semelhantes a ele. Ele caminha, mas não há nenhum caminhante; é por isso que ele parece desequilibrado, oscilante. Ele anda, mas não há uma direção, ele não vai a lugar nenhum. Ele anda, mas o barco está vazio, apenas momentaneamente, mas está vazio.
Olhe um bêbado. Siga-o e veja o que está acontecendo com ele. Se alguém bate nele, ele não fica irritado. Se ele cai, ele aceita a queda, ele não resiste, ele cai como se estivesse morto. Se as pessoas riem e zombam dele, ele não fica preocupado. Ele pode até fazer piadas com elas, pode começar a rir com elas, pode começar a rir de si mesmo. O que aconteceu¿ Momentaneamente, por meio de substâncias químicas, seu ego não está lá.
Perceba... O ego é uma construção; você também pode larga-lo através de substâncias químicas. É uma construção, não é uma realidade. É por meio da sociedade que você o aprende. O álcool simplesmente tira você da sociedade. É por isso que a sociedade, o governo e todos os moralistas são sempre contra o álcool – porque o álcool é perigoso, ele lhe dá um vislumbre do exterior da sociedade.
Os governos, a política, a igreja, o Papa, eles ficaram todos com medo, porque a nova geração consome muitas drogas. Eles são muito perigosos para a sociedade, porque, quando você tem vislumbres que vão além da sociedade, você pode nunca mais ser uma parte ajustada dela. Você sempre será alguém à margem dela. Depois de ter um vislumbre do não ego, a sociedade não pode dominar você com tanta facilidade. E se alguém consumir muitas drogas, então é possível que o ego seja completamente destruído.
Uma ou duas vezes, a droga lhe dará um vislumbre, como uma janela que se abre e se fecha. Se você persistir e se tornar um viciado, o ego pode de repente sumir. E este é o problema: o ego vai sumir, mas o não ego não vai surgir. Você vai enlouquecer, se fragmentar, vai ficar esquizofrênico.
A religião funciona a partir da outra ponta, do outro lado; ela tenta trazer primeiro o não ego. E quanto mais o não ego surgir, mais o todo se afirma, mais o ego vai desaparecer naturalmente, pouco a pouco. Antes da queda do ego, o todo tomou posse. Você não vai ficar louco, não se tornará anormal, você será simplesmente natural. Você vai cair fora da sociedade e entrará na natureza.
Por meio das drogas, você também pode cair fora da sociedade, mas entrará na loucura.
Muitas pessoas, muitos casos tem sido relatados. Uma menina em Nova York, sob o efeito do LSD, simplesmente saltou de uma janela do trigésimo andar porque achava que podia voar. E quando você está sob o efeito de uma droga, se vem o pensamento de que você pode voar, não há dúvida. Você acredita nele totalmente, porque o que duvida, o ego, não está mais lá. Quem está lá para duvidar? Você acredita nisso. Mas o todo não se afirmou – por isso você não é poderoso. O poder não está lá, apenas a ilusão de poder. Isso cria problemas.

E este sutra diz:
Se existe tal segurança no vinho,
Quanto mais no Tao.
O homem sábio está oculto no Tao,
Nada pode tocá-lo

Absolutamente nada pode tocá-lo. Por que? Se você me entendeu direito, sabe que somente o ego pode ser tocado. Ele é muito sensível. Se alguém apenas olha para você de certa maneira, o ego se ofende. A pessoa não fez nada. Se alguém sorri um pouco, ela se ofende, se alguém simplesmente vira a cabeça e não olha para você, ele se ofende. Ele é muito sensível. É como uma ferida, sempre aberta, sangrenta. Você o toca e a dor surge. Uma palavra, um único gesto – o outro pode nem mesmo saber o que ele fez para você, mas ele o ofendeu.
E você sempre acha que o outro é responsável, que feriu você. Não, você é que carrega uma ferida. Com o ego, todo o seu ser é uma ferida. E você o carrega. Ninguém está interessado em feri-lo, ninguém está esperando para machuca-lo; todo mundo está empenhado em proteger a própria ferida.
Perceba... Por isso você não pode ofender um homem do Tao, porque não há ninguém para ser ofendido. Não há nenhuma ferida. Ele é saudável, curado, inteiro.
Esteja consciente da sua ferida. Não a ajude a crescer, deixe-a ser curada; e ela só será curada quando você for para as raízes. Quanto menos na cabeça, mais a ferida vai se curar – sem cabeça, sem ferida. Viva uma vida sem cabeça. Viva como um ser total, e aceite as coisas. Tente pelo menos durante 24h – aceitação total - aconteça o que acontecer.
Alguém insulta você, aceite, não reaja, e veja o que acontece. De repente, você sentirá uma energia que flui em você que você não sentia antes.
Alguém insulta você: você se sente fraco, perturbado, você começa a pensar em como se vingar. Aquela pessoa ganhou toda a sua atenção e, agora, durante dias, noites, meses e até anos, você não será capaz de dormir ou sonhar. As pessoas podem perder toda a sua vida por causa de uma coisinha de nada, só porque alguém as insultou.
Nesse momento, olhe para trás e contemple seu passado... Você vai se lembrar de algumas coisas. Você era pequeno e o professor o chamou de burro na classe, e você ainda se lembra e tem ressentimentos. Seu pai disse alguma coisa, sua mãe olhou para você de certa maneira e, deste então, a ferida está lá. E ela ainda está sangrando; se alguém a toca, você explode. Não deixe isso ferir a sua alma. Vá para as raízes, esteja com o todo. Experimente fazer isso durante 24h, apenas 24h, tente não reagir, não rejeitar, seja o que for que aconteça. E você vai conhecer um novo surto de energia, uma nova vitalidade proveniente das raízes.
E depois que você perceber isso, depois que você provar essa energia, sua vida será diferente.
Então você vai rir de todas as coisas loucas que vem fazendo, de todos os ressentimentos, reações, vinganças, com os quais você foi destruindo a si mesmo.
Ninguém pode destruir você, a não ser você mesmo; ninguém mais pode salvá-lo, exceto você. Você é Judas e você é Jesus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.