9 de jun de 2013

O Todo II


Observe a si mesmo... Como você se vê perante os outros?
Perceba... Você pensa em si mesmo como um indivíduo, separado. Você está errado. Apenas o Todo existe. Isso é falso, essa aparência, o que eu acho que sou. E por causa desse “eu sou”, surge a luta. Se eu sou, então essa existência parece hostil; então tudo parece estar contra mim.
A psicologia ocidental insiste em dizer que o ego deve ser reforçado. Essa é a diferença entre a atitude oriental e a ocidental. A psicologia ocidental insiste em dizer que a criança deve ter um ego forte, ela deve lutar, combater; só então ela amadurecerá.
A criança está no ventre da mãe, una com a mãe, nem mesmo consciente de quem ela é – ela existe, mas sem nenhuma consciência. O seu ser está lá, mas sem nenhuma autoconsciência. O “sou” está lá, mas o “eu” não nasceu ainda. A criança sente, vive, está completamente viva, mas nunca sente que está separada. A mãe e a criança são uma coisa só.
Então, a criança nasce. A primeira separação acontece, e o primeiro choro. Agora ela está se movendo, a onda está se movendo para longe do oceano. Os psicólogos ocidentais dizem: vamos treinar a criança para ser independente, ser individual.
A psicologia de Jung é conhecida como o caminho da individuação. Ela deve se tornar um indivíduo, absolutamente separada. Ela tem que lutar.
A luta vai lhe dar um ego mais forte. Ela vai moldar você. Então lute contra a mãe, contra o pai, lute contra o professor, lute contra a sociedade. A vida é uma luta. E Darwin começou toda a tendência quando disse que só os mais fortes sobrevivem; a sobrevivência do mais apto. Quanto mais forte você estiver no seu ego, mais provável é que vá sobreviver.
O Oriente tem uma atitude totalmente diferente. Ele diz: Nenhuma individualidade, nenhum ego, nenhuma luta; torne-se uno com a mãe, não há inimigo, a questão não é vencer.
A consciência oriental é totalmente diferente. Ela diz: o ego é o problema, não o torne mais forte, não crie nenhuma luta. E não é o mais apto, mas o mais humilde que vai sobreviver.
É por isso que eu insisto mais uma vez em dizer que Jesus veio do Oriente; é por isso que ele não poderia ser entendido no Ocidente. O Ocidente não o entendeu.
Jesus diz: “Os últimos serão os primeiros no meu reino de Deus”. Os mais humildes, os mais mansos, possuirão o reino de Deus. Os pobres de espírito são o objetivo. E quem são os pobres de espírito? O barco vazio, o que não é nada – não tem direitos sobre nada, não tem posse de nada, não tem um eu (ego). Ele vive como uma ausência.
A natureza oferece de bom grado seus segredos. Não há necessidade de explorar e matar. Ame a natureza, e a natureza lhe revelará seus segredos. O amor é a chave. Conquistar é um absurdo.
Então o que aconteceu no Ocidente?
Nós destruímos a natureza completamente, destruímos todo o equilíbrio. Agora a humanidade clama por ecologia, para saber como equilibrar as coisas.
Agora o mestre (Chuang Tzu) pode ser entendido, porque ele diz; não brigue com a natureza. Ame profundamente, torne-se uno com esse amor, de coração para coração, e o segredo será revelado. E o segredo é que você não é um indivíduo, você é o Todo. Por que ficar satisfeito em ser apenas uma parte? Por que não possuir todo o universo? Por que possuir pequenas coisas?
Você é o mundo. Por que ser uma parte, uma pequena parte, e por que desnecessariamente criar problemas quando você pode ser o Todo?
Esse sutra está relacionado ao Todo. Não seja o indivíduo, seja o Todo. Não seja o ego. Se você pode se tornar o divino, por que ficar satisfeito com uma coisa tão pequena e feia.

Então, nesse momento, olhe dentro, relaxe e veja estrelas em seu interior; veja o sol em seu interior; a lua crescente. Veja os oceanos e céus... Você é grande, você é o universo inteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.