23 de jun de 2012

Meditação é vida e não meio de vida



Perceba que todos têm que fazer algo na vida. Uma pessoa será advogado, outra será médico, professor, carpinteiro, negociante, não importa. Todas essas coisas são meios de vida - formas de ganhar o pão de cada dia, de obter um abrigo. Não importa se você for carpinteiro ou médico: são escolhas sobre como ganhar a vida, não podem mudar seu ser interior.
Já a meditação é vida e não meio de vida. Não tem nada a ver com o que você faz, mas tudo a ver com o que você é.
Sim, é verdade que os negócios não devem penetrar em seu ser. Caso seu ser também fique preso aos negócios será difícil meditar e impossível tornar-se alguém que procura.
A meditação é um salto: da mente para o coração e, em última instância, do coração para o ser. Nesse estado você irá cada vez mais fundo, lá onde seu trabalho, seus cálculos terão que ser deixados para trás.
Se você é um homem ou mulher de negócios, não há nada de errado nisso. Jesus, por exemplo, era filho de carpinteiro, ajudava seu pai trazendo e cortando madeira. Ele pôde se tornar um meditador e, no final das contas, se tornar um Cristo, um Buda. Se um filho de carpinteiro pode tornar-se um Buda, por que você também não pode?
Então, quando você estiver em sua casa, com sua mulher ou marido, seus filhos, não seja um homem ou mulher de negócios. Isso significa que seu ser está sendo contaminado pelo que você está fazendo. E o fazer é sempre superficial.
Aqui é o lugar para os que estão dispostos a apostar. É o lugar para as pessoas que podem arriscar tudo por nada.
Exatamente isso, tudo por nada, porque a meditação levará você a um estado de completo vazio. Mas aqueles que chegarem ao vazio da meditação imediatamente perceberão que também atingiram a plenitude da existência. O vazio de si mesmo é a plenitude da existência. Você se torna nada e subitamente uma grande plenitude desce sobre você – você está transbordante, preenchido por toda a existência.
Por isso, seja uma pessoa de negócios no escritório, mas não em casa. E, de quando em quando, se esqueça por algumas horas até mesmo da casa, da família, do marido ou da esposa, esqueça das crianças. Fique sozinho consigo mesmo. Mergulhe cada vez mais fundo em seu ser. Divirta-se consigo mesmo, ame a si mesmo.
E lembre-se sempre: você não precisa fugir do mundo – de sua família, de seus filhos e de seus negócios – você não precisa fugir para os Himalaias. Isso nunca funcionou bem.
Muitos foram morar nas montanhas, mas carregaram consigo suas mentes estúpidas. Porque você pode até deixar o mundo, você pode até fugir do mundo em busca do silêncio, mas você não pode deixar a sua mente aqui. A mente irá com você, ela está dentro de você. E onde quer que você esteja, essa mesma mente irá criar o mesmo tipo de mundo ao seu redor.
Por isso, simplesmente permaneça em silêncio, sem julgar, sem avaliar, sem criticar, apenas observando, apenas esperando...
Então, aos poucos, você perceberá que uma grande alegria está crescendo, sem nenhuma causa externa. Isso é seu próprio ser, seu próprio florescer. Isto é meditação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é importante para mim. Deixe sua mensagem.